sexta-feira, 18 de março de 2011

* Pony Girl *

ACESSÓRIOS PARA PONYGIRLS

Fase 1 - Arreamento de uma pony

 A primeira providencia a ser tomada quando se vai arrear uma pony, é a escolha certa de todos os apetrechos que serão usados naquela pony. Vamos por etapas com o processo de arrear a égua.

1) BOTAS - As botas são colocadas na égua que está sendo arreada, estando ela presa pela coleira na argola que deve ficar na parede da estrebaria. Em toda e qualquer circunstância, o cavalariço ou o treinador que estiver arreando o animal, não deve falar nada com ele, tipo vire a cabeça, ou abra a boca na hora de colocar o bridão. Tudo tem que ser feito sempre com toques, que podem ser sutis, ou mais violentos se o animal é muito arisco, ou se recusa os sinais dados por quem o está arreando. No caso das botas, uma leve batida na perna da égua indica que ela deve levantar aquela perna para que seja enfiada a bota. Essa batida é dada geralmente com o cabo do chicote, jamais com a mão, portanto o treinador que estiver arreando o animal deve ter sempre consigo seu chicote. A bota deve ser enfiada e o cano puxado até em cima. Uma pony bem arreada tem obrigatoriamente que usar botas de canos longos, de couro bem macio, que serão presas depois na barrrigueira que será apertada na cintura da égua. O solado das botas varia conforme a apresentação que ela irá fazer. Se estiver sendo arreada, para lazer de seus proprietários, ou de seus amigos, para ser atrelada à uma charrete, as botas tem que ter o solado grosso com pequenos cravos na sola. Isto porque se houver lama onde a égua ira transitar, ela não corre o risco de escorregar e se machucar, visto ter os braços presos aos varais da charrete. E também dá maior aderência ao solo na hora de puxar a charrete numa subida por exemplo. Após colocar a bota numa perna da égua, uma outra batida na outra perna significa que a égua deverá se virar para o treinador para que ele coloque a outra bota, nunca o treinador dá a volta na égua. São regras básicas mas que definem sempre quem está no comando do ato. O animal não tem vontade própria e só obedece as ordens de seus donos.

2) BARRIGUEIRA - Após a colocação das botas, deve ser colocada a barrigueira. Antes de apertar a barrigueira ou mesmo coloca-la na égua o treinador deve dar um golpe seco com o cabo do chicote, na barriga dela, para que ela a encolha facilitando o aperto da barrigueira. Depois de algum tempo de prática o treinador sabe até que ponto deve apertar a barrigueira. Ela tem que ser extremamente apertada, a fim de que a égua fique com a cintura bem delineada, e ao mesmo tempo com os seios bem mais empinados do que antes da colocação. Nos primeiros momentos o animal sofre um pouco de falta de ar, ma logo se acostuma. Toda barrigueira tem fixadas ao seu redor diversas argolas que servem para os mais variados usos. As argolas laterais servem para que se amarre as tiras que estão presas aos canos das botas, a fim de evitar que os canos escorreguem pela perna da égua, já que são de couro muito macio e ficam parecendo meias.

 3) LUVAS - Dependendo do uso a que o animal será submetido na sessão, será colocada ou não a luva manietadora nos braços da égua. São luvas de cano longo, também feitas de couro fino, sendo que as duas luvas são fabricadas em uma só peça de couro com as mãos unidas que são enfiadas nos braços do animal, pelas costas de forma que ele fique com os braços totalmente imobilizados para trás. Isto também faz com que os seios da égua sobressaiam mais. Estas luvas são usadas somente para demonstrações do passos de poneys, para corridas sem obstáculos e para desfiles de paramentos e arreios especiais. As mãos das luvas não tem dedos. Estas luvas também são aplicadas às ponys novatas para que se acostumem a se alimentar sem o auxilio da mão, e geralmante passam 15 dias sem que sejam tiradas, para acostuma-las bem a não usar mais nem os braços nem as mãos. Uma das coisas mais difíceis das ponys aprenderem, é correr sem o balanço dos braços. Com os braços presos pelas luvas nas costas, a principio quase todas as éguas não usam toda a velocidade que podem em uma corrida, pelo receio que tem de cair. Com o tempo elas se acostumam. Toda essa prática serve também para que na hora da corrida, os seios das éguas fiquem bem soltos, e balancem em todas as direções, sacudindo os sinos que tem presos nas argolas dos mamilos. Em caso de corrida de obstáculo, a prática já é diferente. A égua tem necessidade de ter os braços rente ao corpo, na hora em que salta o obstáculo, para gerar maior impulso. Nesse caso as luvas tem presas na altura do pulso uma argola que é presa à coleira que toda égua sempre tem no pescoço. Ela corre com os braços encolhidos ao lado do corpo, dando maior segurança na hora do salto, mas não pode balança-los. A imobilização dos braços de uma égua tem importância fundamental em seu treinamento. Uma égua bem treinada, pode ser deixada solta no pasto por exemplo, sem que saiba que está sendo observada, ou mesmo amarrada a argola da parede externa da casa, com os braços soltos, que ela espantará os mosquitos ou bichinhos voadores que porventura sentem nela, com o rabo anal ou com o penacho do cabresto, tal o condicionamento dela em não usar os braços para nada. Se estiver bem treinada ela não espanta o mosquito com as mãos de maneira nenhuma e aí se vê o trabalho de um bom treinador. Se ela for ser usada como animal de tração, puxando ou a charrete ou a carroça em parelha com outras ponys em serviços pesados na fazenda ou no sitio de seu dono, ela é presa aos varais do veiculo que vai tracionar, pelos pulsos tendo portanto da mesma forma seus braços imobilizados. Geralmente os varais da charrete ou carroça são presos à barrigueira do animal, portanto o peso recai sobre as ancas do mesmo, que como a barrigueira está muito apertada, o peso se apóia na parte mais forte do animal. Seus braços são presos aos varais e ela pode usar as mãos para ajudar a puxar o veiculo.

4) ARGOLAS DE MAMILOS - A maioria dos proprietários de ponys, deixa que elas fiquem permanentemente com as argolas dos mamilos e do nariz, inclusive alguns mandam que sejam soldadas a peças no lugar, ficando portanto definitivamente fixas. Porém alguns tiram as argolas de seus animais, e na hora de arrear elas tem que ser colocadas. Como no dia da furação do mamilo daquela égua, ela foi feita com um agulha bem grossa, o buraco do bico do seio da égua, não fecha tão facilmente como o de uma orelha por exemplo, mas sempre dá trabalho colocar as argolas em uma égua que ficou muito tempo sem ser arreada. Deve-se passar antes de tentar enfiar a argola, um alargador próprio que todo dono de pony costuma ter. Passa-se três ou quatro vezes o alargador e depois se fixa a argola.

5) SINOS DE MAMILOS – existe uma variedade muito grande de sinos de mamilos, portanto deve ser feita uma escolha cuidadosa do sino que vai ser colocado na égua. Nunca em hipótese nenhuma se deve colocar sinos com mais de 200 gramas de peso. Além de estragarem o animal, eles não tem o som harmonioso dos mais leves. O ideal são os sinos com 100 gramas, são suficientemente pesados para produzir um som audível e não forçam muito o seios da égua para baixo. A correntinha que os segura nas argolas dos mamilos, não deve ser muito comprida, pois correm o risco de tocar muito mal, eles precisam ficar rente ao seio do animal para que com pequenos balanços dos seios já produzam sons. Tem éguas que refugam muito os sinos, neste caso aconselha-se que se coloque os de 200 gramas e deixe por pelo menos um mês no animal, até que os mesmos façam parte da estrutura da égua, e ela fique tão acostumada que sinta falta deles quando são retirados.

6) ARGOLA DE NARIZ – A argola de nariz é um refinamento recente cuja finalidade é poder conduzir muitas éguas de uma vez só, de um lado para outro, pois um só homem com finos cordões conduz inúmeras éguas presas pela argola no nariz. Serve também para manter o animal preso nas argolas de parede, com rédea curta impedindo-o de sentar.

7) LEVANTADOR DE NARIZ - Está se usando também um novo apetrecho que consiste em um gancho duplo que é preso nas narinas da égua e é puxado para cima e preso no alto do cabresto, fazendo com que o nariz do animal fique repuxado e mais abertas as narinas, e dizem os inovadores que com esse pequeno truque a capacidade de aeração da pony aumenta muito, fazendo com que se canse muito menos, agüentando portanto muito melhor longas jornadas de trabalho ou diversão.

8) COLEIRA – É enorme a variedade de coleiras para ponys, que não diferem em nada das de outros animais. Uma boa coleira de pony deve ter no mínimo seis argolas fixas em toda volta. Essas são coleiras comuns, para uso no dia a dia. Nos dias de exibição no entanto é diferente. Para cada modalidade que a pony vai disputar, é usada uma coleira diferente. Se ela vai disputar um concurso de passos, deve ser colocada uma coleira de couro rígido de no mínimo 15 cm na parte da frente por dois na parte da nuca. Isto faz com que a égua fique com o nariz bem empinado, puxando também os seios para cima, ficando com o dorso bem para trás. Esta coleira é usada para mostrar o grau de adestramento que o animal teve, pois a égua é incapaz de ver onde está pisando, nem pode controlar seus passos visualmente, tem que fazer tudo só com treino intensivo. Alguns donos chegam ao exagero de colocar coleiras de tal forma largas que o animal fica olhando para cima, tal é a confiança que tem em seus animais na hora do percurso.

9) COLEIRA PARA SEGURAR SEIOS - Está começando uma moda agora, em que a coleira tem duas tiras na frente que seguram duas argolas de metal nas quais são enfiados os seios das éguas e que tem mais duas correias que são amarradas nas costas da pony, cuja serventia é deixar os seios das éguas mais rijos, fazendo com que balancem menos, e aí colocam sinos pesados de 300 gramas para que balancem só os mamilos.

10) CABRESTO - O cabresto é o mais refinado dos apetrechos de uma pony, e geralmente o mais bonito porque é o que aparece mais. Recomendamos cabrestos funcionais para uso diário e os mais rebuscados para desfiles. O cabresto é uma peça toda de couro grosso e de argolas, que é colocada na cabeça da égua, afivelada por baixo do queixo e na nuca. Nos lados, junto as faces ficam os tapa-olhos, peças importantes em muitas ocasiões. Nos primeiros dias de adestramento de uma pony, recomendamos o uso de um cabresto pesado, com um freio bucal (é a peça ou de aço ou de borracha que é enfiada na boca do animal) grosso, para que ela se acostume. A égua deve ficar também 15 dias sem que lhe seja tirado o cabresto, retirando-se a noite somente o penacho. Este penacho é colocado no alto do cabresto, sobre a cabeça da pony, e servirá também não só como um enfeite, mas como um rabo suplementar para espantar mosquitos. É no cabresto que são presas as rédeas, para condução do animal. Existem cabrestos muito elaborados, mas os mais simples e práticos de se colocar e tirar são o ideal para a prática do adestramento da pony. A peça de borracha que é enfiada na boca da égua quando é colocado o cabresto em sua cabeça, depois que a égua já se adaptou ao seu uso, é feita de borracha macia e não muito grossa, de modo que a égua quase consegue fica de boca fechada. Na hora de apertar as fivelas do cabresto o treinador deve verificar se a correia de couro que passa por baixo do queixo da égua está bem apertada, a fim de evitar que ela abra a boca para respirar, sua respiração deve ser sempre pelas narinas. Isto porque maioria dos proprietários de ponys, ficam satisfeitos ao verem seus animais salivando abundantemente pela boca e com as narinas dilatadas, sinal de que a saúde do animal está perfeita e o exercício a que foi submetido foi adequado ao bom uso do animal em questão. O tapa-olho é uma peça importante nos acessórios das ponys, pois serve para direcionar a visão da égua somente e sempre só em uma direção que é a que fica a sua frente, portanto não desviando a concentração do animal de suas obrigações em obedecer ao comando das rédeas e do chicote. Com o uso do tapa-olho, o animal também não percebe de onde virá a chicotada que leva de vez em quando para apressar o passo, ou por simples deleite de seu condutor, levando sempre susto ativando assim a circulação sanguinea.

11) CORPETE – O corpete é mais usado como enfeite e serve para desfiles solenes, como abre alas, e é como os antigos espartilhos, devendo ser colocado no animal tão apertado que são necessários dois homens para puxar um de cada lado os cordéis que o apertam. Em alguns lugares da Europa, é usado em uma competição de ponys com a cintura com menor diâmetro. Ele também deixa sempre os seios das éguas mais levantados.

 12) RABO – O rabo além de ser um acessório importante para a égua, pois é seu espantador de insetos, é o que complementa e completa a ponygirl como animal, além de embelezar muito o conjunto. Os rabos antigos eram simplesmente um consolo fixo a uma correia que era passada entre as pernas da égua sendo o consolo enfiado no anus dela, as pontas da correia eram afiveladas à barrigueira. Estes consolos hoje chamados plugs tem a ponta mais estreita, engrossando na parte que fica perto da correia e depois forma um gargalo, estreitando bastante onde é fixado na correia. A finalidade desse gargalo é que, depois de introduzida a parte mais larga no anus da égua, quando passa para o gargalo o esfíncter se fecha impedindo que o consolo escape do anus do animal. Mesmo que não se prenda as correias, o plug não sai, a não ser que a égua faça muita força para expeli-lo. Na parte externa da correia é fixado o rabo, da escolha do proprietário do animal. Os rabos muito longos são os piores, pois a égua não consegue se abanar com ele, e acumula sujeira por causa da poeira, lama e outros detritos da estrada. Os mais adequados são os que ficam armados para cima pois possibilitam maior varredura com relação aos insetos. Aqueles antigos que ficavam pendurados atrás das ponys, não servem nem para embelezamento. As novas correias de plugs, vem com dois plugs fixos, um anal e um vaginal. O vaginal é sempre 30% maior tanto no comprimento como no diâmetro que o anal. É muito importante o treinador saber bem quais medidas a pony agüenta, pois se forem introduzidos plugs acima ds medidas corretas da pony, o rendimento dela será bem menor. Só se usam plugs maiores, como castigo, para o prazer de seu dono ao coloca-lo e retira-lo, e nas competições em que são especificadas as medidas dos plugs, para aumentar o grau de dificuldade das provas. Na hora em que forem ser introduzidos, é muito importante enfiar primeiro o plug anal, pois a vagina sendo mais larga, fica mais fácil depois a penetração do outro plug nela. Um bom treinador introduz os dois plugs ao mesmo tempo, mas é preciso prática para isso. Nunca lambuze os plugs com muita vaselina, basta unta-los levemente para que deslizem suavemente para dentro do animal e para que o excesso não fique escorrendo para fora. É preciso que principalmente no plug anal seja passado um lubrificante qualquer, pois é o que mais força as paredes internas da égua, na demonstração dos passos de pony, e também o que mais contribui para que a égua possa inadvertidamente expressar em sua cara algum tipo de expressão como de dor, de prazer, de desconforto, pois ao menor esgar os juizes tirarão pontos preciosos na competição. O animal deve fazer todos os exercícios determinados pelos diretores de prova, sem demonstrar nem um tipo de sentimento. Nas provas de corrida com obstáculos, os plugs devem ser os menores possíveis, nas de corrida de velocidade podem ser um pouco maiores. Em caso de se estar efetuando uma venda do animal, pode-se a titulo ilustrativo na frente do futuro comprador, introduzir-se plugs enormes na égua negociada somente para mostrar a capacidade dela suportar uma carga maior, porque muitos donos compram o animal só pela sua capacidade anal e vaginal, para certos donos isso é fundamental, pois gostam de exibi-las aos amigos e convidados em demonstrações de introdução de plugs nas éguas.

13) COALHEIRA - Esta é uma peça que vai aplicada na cintura da pony, com uma parte larga de couro na frente, na qual estão afixados os tirantes que vão ser presos no arado. Normalmente são usadas duas ponys para arar um pedaço de terra, e devem ser colocadas para arar depois de uma chuva forte ou mesmo durante a chuva. A vantagem de trabalharem debaixo de chuva é que as éguas não cansam tão rápido como no sol. O rendimento sob a chuva chega a ser duas vezes maior do que no sol, inclusive porque as ponys não ficam suadas e não aparecem mosquitinhos nem bichinhos perturbadores. Os plugs para esse serviço devem ser médios, pois elas fazem muita força com o tronco, e a inclinação para frente de seus corpos é muito grande, alterando as paredes do anus e da vagina. Alguns treinadores acham inclusive que sem os plugs elas rendem mais, mas isto descaracteriza a função de uma pony, e sua humilhação. A coalheira deve ser de couro macio, pois a violenta fricção por causa do peso do arado, muitas vezes fere toda a pele do abdome e das pernas da égua. Normalmente são quatro tirantes presos desde a parte superior da coalheira até o meio das coxas do animal, que se unem em um só no arado.

14) CEGANTE – O cegante é um tapa-olho que deixa o animal completamente sem visão. O objetivo dele é deixar de tal modo condicionado o animal a obedecer os comandos de seus treinadores, que não tenha a mais leve hesitação ao toque das rédeas por exemplo. A obediências às rédeas de seios é mais difícil, pelo menor domínio que o animal tem em perceber o toque no seio escolhido. O animal chega a ficar de tal forma condicionado, que se pode promover corridas com todas as éguas portando cegantes.






Autores: Miriam e Roberto Andrade
e-mail: miriam031@hotmail.com

4 comentários:

F. Otavio M. Silva disse...

olá, estou passando aqui porque vi que você é seguidora do blog do meu amigo Ilton Dias e como gosto de escrever contos achei que você gostaria de dar uma passada no meu blog, mas diferente do Ilton eu escrevo mais Ficção Científica e contos românticos, além de poemas de todos o gêneros. Gostei muito do seu blog, diferente de todos que eu já vi. Se puder dá uma passada lá, ok?
http://otaviomsilva.blogspot.com/

Forte Abraço

Arigi Kuwanna disse...

Olá passando rapidinho,
Tem um presentinho para você no meu cantinho.
Bjos se cuida e tenha um lindo dia.

esra disse...

pornosunu izle
sex zamanı
sikiş izle
lolita porno
teen porn free
kızlık bozma
sikiş izle
lolita porno
sikiş hikayeleri
sinema izle
sikiş izle
son dakika haber
sex stories

Natasha Paixão disse...

Amei!

Lindo blog e ótimo post!

Visita o meu, é novo... tá em fase de construção ainda hehehe.

http://natyeeumavidadepaixao.blogspot.com.br/

Bjs

Natye*